O brilho e o cansaço em God of War e Spider-Man

Este ano pude jogar dois exclusivos do PlayStation 4 que esperava bastante: God of War e Spider-Man. Também esperava escrever uma análise para cada um deles, mas abordo minha experiência com ambos neste texto único.

Não é justo compará-los ou colocá-los no mesmo barco, é verdade. Mas as emoções, percepções e ‘brisas’ que tive com os títulos se assimilam em diversos aspectos, positivos e negativos.

Além disso, o último semestre me deixou sem tempo para abastecer o blog, obrigando esta inédita tarefa. E isso não é um pretexto, mas sim um fator que interferiu na experiência com God of War e Spider-Man. Então vamos começar pela ‘bad trip’.

FRUSTRAÇÃO
Um dos recursos que mais me prendem em jogos ‘finitos’ (aqueles ‘de zerar’) são as quantidades de itens colecionáveis, desafios secundários, segredos a descobrir e todos os caminhos que percorremos para ter essa completude.

Mas nada disso vale a pena se for apenas por status, o que tem de monte em God of War e Spider-Man. Muito do que esses títulos oferecem fora da narrativa principal não trazem uma grande recompensa ao esforço requerido, com foco maior em troféus que não servem de nada ou novos itens que não influenciam tanto a jogabilidade.

god-of-war-analise

God of War foi desenvolvido pela SIE Santa Monica e publicado pela Sony Interactive Entertainment em 20 de abril de 2018

Mesmo assim, explorei os objetivos secundários ao máximo possível com Kratos e Parker, alongando as jogatinas a um nível extremamente cansativo e, por fim, frustrante.

REENCONTRO
Tudo bem que um game não pode se valer do discurso narrativo para ser bom. Mas quando o enredo é bem trabalhado, dá um brilho na experiência. É o caso desses dois títulos.

Em God of War, Kratos está ‘diferente’. Maduro. Sereno. Embora ainda violento. Está em de busca redenção, cuidando de um filho e inserido em outro universo. Procura se distanciar do passado, rodeado de mistérios que, na soma, representa diversas angústias da vida adulta. Elas dialogaram comigo e criam sentido para seguir em frente.

spider-man-analise

Spider-Man foi desenvolvido pela Insomniac Games e publicado pela Sony Interactive Entertainment em 07 de setembro de 2018

Já em Spider-Man, o enredo original traz Parker herói por quase uma década. Embora ele esteja prestigiado no início da trama ao capturar um dos maiores líderes do crime na cidade, seus problemas se tornam mais constantes ao decorrer de novos eventos, implicando principalmente em sua vida pessoal.

Essas situações mimetizam, mesmo que simbolicamente, muitos problemas da vida real. É o velho dilema da arte imitando a vida ou vice-versa. E essa mistura de emoções vão se traduzindo em combustível para continuarmos atirando teias aqui e machados acolá, sempre atrás de soluções com breves pausas para aproveitar o que se dispõe em volta do percurso principal.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.